Sexo Com Coroa Morena Gostosa Rabuda Amador Dando Para Seu Sobrinho No Banheiro

12 min

Categoria:

Tag: , ,

visualizações

12 min

Categoria:

Tag: , ,

Sexo Com Coroa Morena Gostosa Rabuda Amador Dando Para Seu Sobrinho No Banheiro

Sexo Com Coroa Morena Gostosa Rabuda Amador Dando Para Seu Sobrinho No Banheiro

Eu ja tinha uns 16 anos quando aconteceu e eu ja era bm putinha ainda estava no ensino medio e tinha uma rapaz no 3º ano que tinha 18 anos e ja havia me comido algumas vezes, um dia ele chegou me chamando de gostosa falando:-ta na hora de você dar esse rabão gostoso pra mim. Era de família extremamente religiosa, cobria-se quase que totalmente, não se maquiava, mas ainda assim era uma morena de um 1,65, seios empinados e uma bunda dura e redonda que estonteava qualquer um em qualquer ocasião. Quando cheguei na faculdade, a primeira coisa que fiz, foi ir ao banheiro, daí que vi que minha buceta estava encharcada, fiz xixi, sequei, mas dei uma passadinha no meu grelinho, o que aumentou mais ainda minha vontade, falei pro meu marido, por WhatsApp, que estava lendo um conto e que estava adorando, que quando chegasse em casa falaria pra ele.

VESTI UM ROUPÃO, COLOQUEI A BANHEIRA PARA ENCHER, SINTONIZEI UM SOM SUAVE PARA DEIXAR O AMBIENTE BEM ACONCHEGANTE.

Não podia acreditar minha própria mãe, de quatro, gemendo e rebolando em minha piroca enquanto chupava seu sobrinho. Sem perdermuito tempo ele me pega pela mao e me leva a seu quarto e pede pra eu ficar de quatro sobre ela, coloca a camisinha e volta a foder minha buceta, nao demora pra tocarmeu cuzinho com seus dedos massageando-o e com sua saliva tenta coloca-lo em mim, ele pede pra continuar nessa posição tira de mim e vai ao banheiro e rapidamente retorna e continua me fodendo, sinto algo gelado tocar meu cuzinho quente de tesao, seus dedos deslizam e me penetram com mais facilidade, logo estou pronta para receber aquelepau que depois de algumas gotas geladas a mais sinto ele devagar entrar em mim.

-Ahhhhhh – Foi tudo o que ele conseguiu dizer no momento, e assim que recuperou o fôlego me chamou novamente de puta e repetia sem parar :– Aí que delícia, vai rebola mais, sua puta rabuda, vai, vai, isso, rebola essa buceta no meu pau vai.

(Era uma coroa de uns 50 anos com barriguinha de chop é tinha o pau bem peludo)Chupei muito, então senti algo entrar no quarto e tento me vira foi aí que fiquei com mais medo, lê segurou minha cabeça é não deixou eu me virar.

Ele queria que fizesse um filme erótico amador, onde ele seria o diretor e câmera, e eu seria sua atriz principal. Na mesma hora ele enfiou tudo de uma vez e eu gemi bem alto, ele socava com vontade apertando minha bunda e dando tapas, quando ele puxou meu cabelo bem firme me chamando de puta, vadia, cachorra e tudo mais.