Novinha gostosa na sirica no banheiro do aeroporto – Mais em

visualizações

5 min

Categoria:

Tag: , , , , , ,

Novinha gostosa na sirica no banheiro do aeroporto – Mais em

Novinha gostosa na sirica no banheiro do aeroporto – Mais em

Percebi sua surpresa ao se deparar com Anita entrando no quarto me puxando como uma cadela. ”Olá me chamo Gabriel, tenho 20 anos e venho relatar a vocês um fato que aconteceu comigo a umas duas semanas.

Por dentro do vestido, os bicos de seus peitos sem sutiã marcavam o vestido.

Eu havia aproveitado para satisfazer uma fantasia antiga dele e me vesti com uma saia curta e, sem coragem de sair sem calcinha coloquei a mais cava que tinha, mas sentindo a tranquilidade do ambiente fui ao banheiro e retirei guardando na bolsa. – É mesmo? E por que achou que eu queria vir aqui?– Porque… je t’aime, ma petite bresilienne!Ela achou uma graça. Fui busca-la no aeroporto com minha esposa na quinta feira a noite e ela ficaria até quarta feira. Papo vai papo vem, decidimos conversar sobre ele, disse que estava sozinho fazia um bom tempo e que não transava há uns 5 meses, eu ri e ele me jogou água na cara. Na próxima eu mando umas das minhas aventuras pra ver se vocês curtem, pq agora deu uma vontade louca de bater uma sirica gostosa aqui e vocês sabem como é né: o corpo pede, a gente tem q satisfazer!Beijinhos quentes no lugar preferido de vocês…Até!"Gabriel começou a socar forte, a meter sem dó, sentia seu pau ir até o útero de Angela e ainda ficar um pouco fora, a namorada agora lambia seu saco e acariciava a própria buceta, enfiava o dedo médio e o anelar dentro dela, se fudia sozinha com uma das bolas do namorado em sua boca, chupando enquanto ele bombava em sua tia. Um dia, rolando um clima já no corredor, passa a novinha do nosso lado enfurecida. Joguei a cabeça pra trás… Contraia minhas nádegas provocando uma sensação gostosa no meu cuzinho.

quando ele chegava era uma alegria, morávamos no mesmo terreno, e nos fins de semana em que nao estava tirando serviço, vinha para casa de minha avó, mãe dele, o melhor de tudo, que me levava sempre onde ele ia, principalmente para pescar, foi ali, na beira do rio, que passava aos fundos de nossas casas, que numa casualidade do destino, quiz , que meu tio Ge, furasse o dedo com anzol, e num impulso, eu pegar e chupar o dedo dele para estancar o sangue….