Japonesa Novinha Se Masturba No Banheiro Publico

visualizações

5 min

Categoria:

Tag: , , , , , , , , ,

Japonesa Novinha Se Masturba No Banheiro Publico

Japonesa Novinha Se Masturba No Banheiro Publico

É pra mim mesmo, mas… acho que você poderá considerar como sendo um presente pra você também.

Caí na cama sem consegui me mover, quando ele ergueu o rosto, molhado com meu pra*er, ajoelhou-seno meio das minhas pernas e inclinando-se, beijou os meuslábios.

Fui fazer um curso e qdo voltei a morar com a minha mãe, notei seu vizinho de porta.

Quando acontece o jeito e entrar no carro e sair logo, mas teve essa vez em que as coisa ficaram bem diferentes, uma viatura encostou com a sirene desligada, e quem o pequeno publico que estava me assistindo sumiu. Quando cheguei, Ricardo já estava lá, ele era moreno e estava de camisa polo azul, jeans e tênis, sentei com ele na mesa, pedimos cerveja e começamos a conversar. Fui dormir meio frustrada e no dia seguinte não quis nem passear,quando todos saíram decidi que eu iria gosar de qualquer jeito, entrei no site e comecei a ler alguns contos eróticos e fui me excitando, e evitando cada vez mas, e assim comecei a me masturbar, sozinha.

Retomei a consciência e pedi para sair do banheiro.

Depois de muita conversa, fomos para casa dele e acabámos por concordar que cada uma faria aquilo que a outra mandasse sem se poder recusar, para não haver o perigo de alguém se negar a fazer algo. Eu que me auto denomino o Poeta de Ilusões mantinha um relacionamento a distancia com a Ane, eu morava em São Paulo e ela em Maringá, uma japonesa de família tradicional e muito tímida no meio social, quem a via jurava que ela era uma santa de tão calada e tímida que era, mas o velho ditado diz e ensina as mulheres, sejes dama na rua e puta na cama…acho que era o que ela pensava!!!Ela chupava a todos e pedia que a fodessem inteira…. Um dia, rolando um clima já no corredor, passa a novinha do nosso lado enfurecida.

No final do loteamento havia um espécie de bosque com uma grande rocha e árvores que que bloqueavam a visão da rua.