Comendo O Cu Do Meu Amor No Banheiro

2 min

Categoria:

Tag: , , ,

visualizações

2 min

Categoria:

Tag: , , ,

Comendo O Cu Do Meu Amor No Banheiro

Comendo O Cu Do Meu Amor No Banheiro

– Ele fui enfiando na buceta – E eu o parei:Eu: – Ai não, quero tudo no cuzinho. Ela já mais relaxada:Raquel: – Mor, que delicia de pica tem esses seus amigos, quero mais dessas, quero muitas.

De repente, sem mais nem menos, ele guardou seu pau, lavou as mãos e saiu do banheiro, sem nem olhar pra tras.

Nunca vi um troço desse jeito, tenho medo disso ai.

Perguntou de onde eu estava teclando e acabamos descobrindo que estavamos na mesma cidade.

Quando ela entrou no carro aproveitei o gancho:-Sua malandrinha…já arrumou namorado em Curitiba heimmm?Ela riu:-Que é isso tio, é só paquerinha que não dá em nada…Continuei a conversa aproveitando para perguntar se tinha manorado fixo, se gostava de namorar; Ela disse que adora namorar e se apaixonar, já teve muitos namorados mas no momento está solteira; Eu já estava no rumo do motel, então forçei a barra:-Mas Flavinha, estou curioso…conta aí para seu tio…você ainda é virgem?Ela ficou vermelha e com um sorriso tímido me surpreendeu:-Seu safadinho! Você acha que uma menina com meu corpo chega aos 19 anos virgem hoje em dia?Respondi já colocando minha mão em sua coxa esquerda:Claro que não, sei que um mulherão como você deve poder escolher com quem vai para a cama, não devem faltar pretendentes…você já esteve com homens mais velhos?Sem demonstrar mais timidez e com um sorriso safado no rosto ela responde:-Tipo assim…como você tio? Que tal parar de me comer com os olhos e fazer alguma coisa?Na hora parei o carro em um lugar seguro, soltei meu cinto e agarrei ela dando um beijo bem safado enquanto enfiava uma mão na blusa dela. Ele botou para fora, eu punhetei um pouco e depois caí de boca. Por algumas vezes me tranquei no banheiro e de lá só saia depois de gozar bem gostoso pensando no chefe me comendo na sala de reunião; prendendo minhas mãos para trás, empurrando metade do meu corpo na mesa, me forçando a abrir minhas pernas, arrancando minha calça, colocando a calcinha para o lado e enfiando seu pau na minha buceta com gosto, me fodendo até gozar na minha boca. – Mamãe… Sou eu… Sua filha… Por favor, venha me buscar.

a viagem dos pais dele duraram uma semana e nessa semana eu ia na casa dele pra gente transa.

Me fuder, já que não tem ninguém pra fazer isso!!!Então, leio contos, assisto vídeos, penso, imagino, e ouço um gostoso safado que conheci como saberão no segundo conto.